Sites Grátis no Comunidades.net
Translate this Page

Rating: 2.5/5 (83 votos)




ONLINE
1




Partilhe este Site...



 

 

 

  contadores de visitas 

 

Flag Counter


Escatologia os selos do Apocalipse (2)
Escatologia os selos do Apocalipse (2)

                                  OS SELOS DO APOCALIPSE CAP 6.9-17 (2)

                                               Artigo Mauricio Berwald

                                                        Versículos 9-10

 

Apocalipse 6: 9-10Apocalipse 6: 9-10.. Os seguintes selos têm nada extrínseca, como a proclamação dos seres vivos, mas eles são suficientemente distinto por suas marcas internas e personagens Quando ele abriu o quinto selo, vi debaixo, ou ao pé de , o altar - que foi apresentado a minha opinião; não o altar de ouro do incenso, mencionado Apocalipse 9:13 Apocalipse 09:13, mas o altar do holocausto, de que falou também Apocalipse 8: 5Apocalipse 8: 5; Apocalipse 14:18Apocalipse 14:18; Apocalipse 16: 7 Apocalipse 16: 7; as almas dos que foram mortos - Ou seja, recém- imolado em sacrifício, e oferecido a Deus; para a palavra de Deus - Por acreditar e professar a fé nele, e por causa do testemunho - Para a verdade do evangelho, que deram - Ou seja, corajosamente retida no meio de toda a oposição . Uma descrição adequada esta de verdadeiros cristãos, que perseveraram na fé e na prática do evangelho, apesar de todas as dificuldades e os sofrimentos de perseguição. E clamavam com grande voz - Como fazer um apelo à justiça ferido de Deus. Este grito não começou agora, mas no âmbito da primeira perseguição romana.

 Os próprios romanos já haviam vingado os mártires assassinados pelos judeus em toda a nação; dizendo: Até quando - Eles sabiam que o sangue seria vingado, mas não imediatamente, como agora é mostrado a eles; ó Senhor - A palavra ο δεσποτης significa propriamente o mestre de uma família; é, portanto, muito bem utilizado por estes, que eram peculiarmente da família de Deus.Santo e verdadeiro - Tanto a santidade ea verdade de Deus exige que ele para executar o julgamento e vingança; não julgas e vingar o nosso sangue dos - Quem, sem remorso, ter a derramou como água.Este desejo deles é puro, e adequado para a vontade de Deus. Estes mártires estão em causa para o louvor de seu Mestre, da sua santidade e da verdade. E o louvor é dado a ele, Apocalipse 19: 2Apocalipse 19: 2, onde a oração dos mártires é transformada em ação de graças. Mas esta frase,quanto tempo, & c., Destina-se, não tanto para expressar o desejo dos mártires que a sua causa deve ser vindicado, e seus perseguidores punidos, como para significar que as crueldades exercidas sobre eles eram de tão bárbaro e atroz a natureza como para merecer e provocar a vingança de Deus. 

 

Verso 11

Apocalipse 6:11 Apocalipse 6:11. E vestes brancas foram dadas a cada um deles - Como um símbolo de sua justificação e aceitação favorável com Deus; . de sua vitória e triunfo sobre a morte, sua alegria e glória E foi dito a eles, que eles devem descansar - Ou seja, esperar, ainda um pouco de temporada- Embora, nesse meio tempo, o sangue deles permaneceu sem vingança; até à sua companheiros de serviço também, e seus irmãos, que deve ser morto para a defesa do evangelho, uma vez que tinha sido, deve ser cumprida - Ou seja, deveria ter terminado seu testemunho; ou até que o número dos mártires deve ser concluído, de acordo com a intenção da Divina Providência, em deixar perseguidores ir em um tempo, até que eles deveriam ter enchido a medida de suas iniqüidades, quando os mártires devem receber a sua plena recompensa, como nós veremos a seguir. Lowman observa aqui, muito bem, que "esta representação parece muito para favorecer a felicidade imediata de santos falecidos, e dificilmente a consistir com o referido parecer desconfortável, o estado insensível das almas dos mortos, até que depois da ressurreição."  

Havia outras perseguições antes, mas esta foi de longe o mais considerável, a perseguição geral décimo e último, que foi iniciada por Dioclesian, e continuou por outros, e durou mais tempo, e estendeu mais longe, e era mais nítida e mais sangrenta do que qualquer ou todas anterior; e, portanto, esta foi especialmente previsto.  

Eusébio e Lactantius, que foram testemunhas oculares dois, escreveram grandes contas do mesmo. Orosius afirma que esta perseguição foi mais longo e cruel do que todo o passado; para ele se alastrou incessantemente por dez anos, pela queima de igrejas, proscrito o inocente, e matando os mártires. Sulpício Severo, também, descreve-o como a perseguição mais amargo, que durante dez anos juntos despovoada o povo de Deus; altura em que todo o mundo quase foi manchada com o sangue sagrado dos mártires, e nunca mais exausto por qualquer das guerras. Para que isso se tornou uma época memorável para os cristãos, sob o nome de uma era de Dioclesian, ou, como ele é chamado de outra maneira, a era dos mártires. 

 

Versículos 12-17 

Apocalipse 6: 12-17 Apocalipse 6: 12-17. E vi - Outras informações sobre a minha visão; quando ele - The Lamb; abriu o sexto selo; e eis! houve um grande terremoto - grego, σεισμος μεγας εγενετο,houve um grande abalo: para a expressão compreende o tremor do céu, bem como da terra; eo sol tornou-se negro como saco de cilício - Ele perdeu o seu brilho habitual, e parecia preto e escuro, como em um eclipse total; ea lua tornou-se como sangue. - Em vez de aparecer com seu brilho habitual nos céus, ele apareceu de uma cor escura-vermelho, como sangue e as estrelas do céu caíram - Pareciam a desaparecer dos seus lugares nos céus, e cair sobre a Terra, como meteoros, ou como fruto maldito é soprado para baixo das árvores no chão em uma violenta tempestade. E o céu retirou-se como um pergaminho, & c. - Foi ainda representados para mim na minha visão como se os céus não estavam mais se espalhar sobre a terra, mas enrolado em conjunto, como um rolo de pergaminho; e todos os montes e cada ilha - O mais seguro do perigo de terremotos, não foram única abalado, mas bastante derrubada e destruída; assim como nunca para ser restaurado novamente: e tudo isso, diz Lowman, "para significar, de acordo com as expressões da antiga profecia, essa queda do império e poder de Roma pagã, como nunca devem ser recuperados; mas o poder desses inimigos idólatras da fé cristã deve cessar e não mais, como o poder dos assírios e babilônios, os antigos inimigos do povo de Deus, foi destruída e nunca se recuperou. "Assim, o Profeta Joel descrevendo, na bela imagens de estilo profético, uma fome para ser ocasionada por um grande número de gafanhotos, que eram para devorar todo os frutos da terra, assim expressa, Joel 2:10; A terra tremer diante deles, tremem os céus, a o sol ea lua escurecem, e as estrelas retiram o seu resplendor.  

O profeta Isaías, profetizando uma grande destruição dos inimigos de Deus, por sua oposição a sua igreja, (que ele chama o dia da vingança do Senhor, e no ano de retribuições pela causa de Sião, Isaías 34: 8,) assim descreve, Apocalipse 6: 4; E todo o exército dos céus se dissolverá, eo céu se enrolará como um pergaminho, e todos os seus exércitos cairão como cai a folha da videira, e como o figo que cai da figueira. O significado geral de que expressões é explicado no verso seguinte; Pois a minha espada se embriagou no céu; eis que descerá sobre Edom e sobre o povo do meu anátema para exercer juízo. De modo semelhante, o mesmo profeta exprime, portanto, os juízos de Deus na punição dos pecadores, Isaías 13:10; Para as estrelas do céu e as constelações não darão a sua luz; o sol se escurecerá ao nascer, ea lua não fará a sua luz brilhar. O significado do que é assim explicado nas próximas palavras, Apocalipse 6:11; vou punir o mundo de sua maldade, e sobre os ímpios a sua iniqüidade; e farei a arrogância do orgulhoso cessar, e abaterei a soberba do terrível. 

 O profeta Ezequiel usa as mesmas imagens para expressar a queda de impérios opressores e poder. Assim, a profecia da destruição do império do Egito, o império da Babilônia, Ezequiel 32: 7-8; E quando eu apagando-te, vou cobrir o céu, e as suas estrelas escuro;Vou cobrir o sol com uma nuvem, ea lua não dará a sua luz; Todas as brilhantes luzes do céu, eu as enegrecerei sobre ti, e trarei trevas sobre a tua terra, diz o Senhor Deus. E Jeremias, a respeito da terra de Judá, Jeremias 4: 23-24; Observei a terra, e eis! que era sem forma e vazia; e os céus, e não tinham luz; Observei os montes, e eis que estavam tremendo; e todos os outeiros estremeciam. E assim o nosso próprio Salvador também fala, a respeito da destruição de Jerusalém, Mateus 24:29; O sol escurecerá, ea lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e os poderes dos céus serão abalados. Agora é certo, diz Bispo Newton, que interpreta esta profecia do mesmo modo, que a queda de qualquer uma dessas cidades e reinos não era do maior interesse e importância para o mundo, nem mais merecendo ser descrito em tais figuras pomposas, do que a queda do Império Romano pagão, quando os grandes luminares do mundo pagão, o sol, a lua e as estrelas, os poderes civis e eclesiásticos, foram todos eclipsada e obscurecida, os imperadores pagãos e Cesars foram mortos, os sacerdotes e augurs pagãs foram extirpados, os oficiais pagãos e magistrados foram removidos, os templos demolidos, e as suas receitas apropriadas para melhores usos.  

É habitual com os profetas, depois de terem descrito uma coisa na dicção mais simbólica e figurativa, para representar o mesmo novamente em linguagem mais simples; eo mesmo método é observado aqui, Apocalipse 6: 15-17: Joel 2:10Isaías 34: 8Apocalipse 6: 4Isaías 13:10Apocalipse 06:11Ezequiel 32: 7-8Jeremiah 4: 23-24Mateus 24:29Apocalipse 6: 15-17

E os reis da terra, e os grandes homens, e os homens ricos, e os capitães-chefes, e os homens poderosos, e todo bond-homem e de cada homem free-; - Ou seja, Maximiano, Galerius, Maximin, Maxentius, . Licínio, & c, com todos os seus adeptos e seguidores, foram assim encaminhadas e dispersa, que se esconderam nas cavernas e nas rochas das montanhas, e diziam aos montes e aos rochedos: Caí sobre nós e escondei-nos - Expressões usado, como em outros profetas, Isaías 02:19(Isaías 02:19; Isaías 02:21Isaías 2:21; Oséias 10: 8Oséias 10: 8; Luke 23:30Lucas 23:30), para denotar o maior terror e consternação; Caí sobre nós, e escondei-nos do rosto daquele que está assentado no trono, e da ira do Cordeiro, & c. - Este é, portanto, um triunfo de Cristo sobre seus inimigos pagãos, e um triunfo após uma perseguição severa; de modo que o tempo e todas as circunstâncias, bem como a série e fim da profecia, concordam perfeitamente com esta interpretação. 

Galerius, Maximin, e Licínio feita ainda uma confissão pública de sua culpa, lembrou seus decretos e editais contra os cristãos, e reconheceu os apenas juízos de Deus e de Cristo em sua destruição. A história deste evento extraordinário é dada mais em geral por Lowman, de cuja conta o seguinte excerto curto é tomada. Pouco tempo depois da perseguição de Diocleciano pesado, denominado, na profecia,um pouco de tempo, (Apocalipse 6:11), uma grande mudança ocorreu no Império Romano pagão, que contou com grandes calamidades sobre os perseguidores dos cristãos, até mesmo, como fez em pedaços o seu poder opressivo. Dioclesian e Maximiano tinha sido obrigado a demitir-se por Galerius o império e retirar-se para a vida privada; mas após a morte de Constâncio, ea ascensão de seu filho Constantino a sua parte do império, Maxentius tendo obtido se declarou imperador em Roma, Galerius, para suprimir esta rebelião, convenceu Maximiano para retomar o império, o que ele fez; mas em pouco tempo teve a mortificação de ser deposto; e logo depois, tendo em vão tentou tirar a vida de Constantino, pôs fim à sua própria vida. 

Galerius foi ferida com um cinomose muito repugnante e incurável, que contou com tais tormentos insuportáveis, que muitas vezes ele se esforçou para se matar, e causou alguns de seus médicos para ser condenado à morte porque seus medicamentos não tinha sido eficaz para remover seu transtorno. Por fim, sua conduta perversa e cruel para com os cristãos sendo trazido à sua lembrança, como a causa dos seus sofrimentos, ele imediatamente pôr fim à perseguição (que tinha sido realizado em contra eles) por um edital público, em que ele particularmente desejado suas orações por sua recuperação. Logo após esse reconhecimento público, no entanto, em favor do cristianismo, ele morreu de sua enfermidade repugnante. Constantino, que tinha se tornado um grande favourer dos cristãos, marchou contra Maxêncio, que se opunham a ele com um exército de 170 mil pés, e dezoito mil cavalo; depois de uma batalha feroz e sangrenta muito, Maxentius foi derrotado por Constantino, que, tendo sobre esta vitória garantiu para si mesmo todo o império do oeste, deu liberdade aos cristãos abertamente livre de professar a sua religião. Mas, no leste, Maximiano revogou as liberdades que tinham sido concedidas aos cristãos, e fizeram guerra contra Licínio; ser derrotado, porém, com grande matança de seu numeroso exército, ele colocou muitos sacerdotes e adivinhos pagãos à morte como fraudes.  

Mas não muito tempo depois, quando ele estava se esforçando para tentar o caso de uma segunda batalha, ele foi apreendido com uma violenta cinomose, participou com dores intoleráveis ​​e atormenta por todo o corpo; de modo que, depois de ter sido desperdiçado a um esqueleto, e tornando-se completamente cego, ele longamente morreu em raiva e desespero;confessando, ao seu leito de morte, que seus tormentos eram uma punição justa em cima dele para seus processos maliciosos e não provocados contra Cristo e sua religião.Apocalipse 06:11 

Constantino e Licínio agora permaneceu imperadores em nome individual, o ex, a oeste, eo último no leste. Licínio tendo cruelmente perseguido os cristãos na sua parte do império, uma guerra eclodiu entre ele e Constantino, em que Licínio foi superado, e obrigado a fugir; e depois de renovar a guerra, e transportá-la com maior fúria do que antes, ele foi novamente derrotado em uma batalha geral, na qual é dito cem mil homens foram mortos.  

Ele também foi feito prisioneiro, e que sua vida foi, então, poupado, ainda em novos atentados contra a vida de Constantino, ele foi condenado à morte, e com ele terminou todo o poder pagão de Roma. Assim, por grandes e frequentes calamidades, em que tantos imperadores tiveram sua uma ação após outra, esta maravilhosa mudança foi forjado no Império Romano pagão. Assim que o seu poder para oprimir e perseguir os cristãos caiu, nunca mais se levantar; e, juntamente com ele, caiu a superstição pagã e da idolatria. "Esta parte da história", como Lowman observa, "é muito apropriada para o design geral de toda esta revelação; para apoiar a paciência, e incentivar a perseverança da igreja, por tal uma instância de poder e fidelidade na proteção da religião de Cristo de Deus, e punição de seus inimigos. 

 Vemos neste período, durante a perseguição de Roma pagã, a igreja em um estado de grande provação e sofrimento, e ainda preservada e protegida, e, finalmente, a obtenção de um estado de paz e segurança, quando todo o poder de seus perseguidores foi totalmente destruída pela providência de Deus. Assim, esta história confirma a verdade geral de todas as profecias, e as previsões específicas de cada um deles solidariamente: - um forte incentivo para a paciência e constância da igreja verdadeira ".       fonte Mathew Henry, coment. do novo testamento

fonte www.mauricioberwaldoficial.blogspot.com  

Postado por mauricio berwald