Translate this Page

Rating: 2.4/5 (41 votos)




ONLINE
1




Partilhe este Site...



 

 

 

  contadores de visitas 

 

Flag Counter

site, pdf free, book download, 882822, get pdf, 726908, link, this site, pdf free, link 480251,

História de Israel periodo do Exodo
História de Israel periodo do Exodo

                                              O EXÔDO HISTORIA  

        Planícies de Moab, junto do Jordão, perto de Jericó (verso 48).

 

Os pontos indicados na rota acima, tanto quanto Cades já foram identificadas com precisão considerável. Resta considerar o quão longe o resíduo são capazes de identificação. Para este efeito, temos algumas coincidências com localidades modernos ou muito conhecidos, e várias repetições dos mesmos nomes ou nomes semelhantes, indicando uma passagem pelo mesmo local a partir de diferentes direções. O restante deverá ser fornecido pela conjectura, assistido por tais sugestões como a natureza da região, fornece. É uma questão de saber se a estação de Ritma ( Números 33:18 ) foi um atingido pelos israelitas antes ou depois de sua primeira chegada em Cades; mas, como é mencionado em conexão imediata com Haserot, pode-se inferir que era ou um outro nome para se Ksadesh, ou uma localidade tão perto dele quanto para permitir a omissão de Kadesh no resumo em que ocorre. 

 Após a sua repulsa pelos cananeus na passagem chamado Nukb es-Sufah, os israelitas se poderia supor para levantar recuaram ao longo da costa ocidental da 'Arabá até que chegaram a wady el-Kafafiyeb, ou a de Abu Jeradeh, que lhes proporcionaria uma subida para a região montanhosa que ocupa o interior do norte do deserto, em algum lugar perto do cume da qual podemos colocar o seu próximo acampamento, chamado de Rimom-Pérez. Libna, onde eles próxima acampados, podem não é improvável ser o mesmo com Laban, dada ( Deuteronômio 1: 1 ) como um dos pontos extremos da sua região de vagar, e pode ter sido situado na encosta ocidental das montanhas, em ti bairro da wady el-Ain, correndo para baixo de 'Ain el-Kudeirat. Daí eles podem ter procedido baixo wady el-Ain a sua junção com o grande wady el-Arish, onde podemos colocar a próxima estação, Rissa, nas proximidades de el-Kusasby, em frente Jebel el-Helal. Seguindo esta última vale para o sul, eles próxima parou em Queelata, talvez na sua junção com eady el-Hasana, em frente Jebel Achmar, e daí para leste até Wady el-Mayein, em torno da base norte do Arait en-Nakahm, que podemos identificar com o Monte Sefer, até o cume pouco além Ain el-Mamein, onde se pode localizar sua próxima estação, Hartidali. Maquelote e Tabath podem estar localizados em intervalos adequados ao longo da base norte do cume el-Mukrah, e Tara na intersecção do dali rota sudeste com o wady el-Jerafeh, que seria susceptível de exercer (parando em Mitheah na way) até à sua intersecção com o wady el-Jeib, no 'Arabá, onde podemos localizar Hashmonah. Daí é uma fase fácil para a estação seguinte, Loseroth, o que é sem dúvida o mesmo com Mosera, depois visitada ( Dt 10: 6 ), e não identificado com o vizinhança do monte Hor, onde Aaron morreu. Aqui temos um ponto fixo, o que quer que pode ser considerado o circuito conjectural anterior, que sem dúvida ocupada vários anos. Notamos que Schwarz, embora incapaz de corrigir essas estações nesta parte do itinerário dos israelitas, acredita que eles devem ter sido neste planalto, rochoso, agora ocupada pela tribo Azazumeh (Palestina, página 215).

 Do monte Hor a próxima estação indicada é Beneja.akan (qv), evidentemente, idênticos aos poços (Beerote) do mesmo nome, mencionado posteriormente na ordem inversa entre Cades e Mosera ( Deuteronômio 10: 6 ), e, provavelmente, um termo geral para a região bem regada, incluindo as fontes el-Hufeiry, el-Buweirideh, el-Webeh, e el- Ghamr. Neste último nominado local; terem atravessado a 'Arabá em um sentido leste-norte, os israelitas podem ter perseguido sua rota até wady el- Ghamr, evitando a sua faixa tarde na vizinhança (para os mesmos nomes não reaparecem), e assim por um sul-oeste, e, em seguida curso sul, caíram novamente em Wady el-Jerafeh, e seguiu-o até onde se bifurca em Wady el-Ghudhagidh. Este último nome é provavelmente uma relíquia do que de sua próxima estação, Hor-Hagidgade, essencialmente o mesmo com o Gudgoda (qv) depois visitados por eles ( Deuteronômio 10: 7 ) em refazendo seus passos através desta região; pois, embora as letras dos nomes árabes e hebreus não são idênticas (como dado nas listas de Robinson, Pesquisas, 3, apêndice. 210, onde a ortografia foi, provavelmente, tomadas apenas pelo ouvido), mas eles são equivalentes em som, e em ambos os casos conter o mesmo reduplicação peculiar.

 

Daí fazendo um circuito sul entre os chefes de várias wadys executando leste do pequeno Jebel et-Tih, seu próximo acampamento foi Jotbatá, coincidente com a Jotbatá de Deuteronômio 10: 7 , e não descrito como "uma terra de rios e córregos," que pode, naturalmente, localize no cruzamento da rota, assim, indicado com o Jerafeh wady superior, onde é uma confluência de vários wadys filiais. Seguindo-se o chefe deles, wady Mukutta et- Tawarik, em direcção sudeste, cairiam em (na estação de Abrona) com a rota Haj moderna do Cairo, e segui-lo através da passagem do 'Akabah a Eziom-Geber em o Mar vermelho. Daí eles parecem ter tomado o seu primeiro caminho através do 'Arabá a Cades novamente. O seguinte é uma tabela de alguns dos mais definitiva destes resultados: 

Números 33: 30-35 .

 Deuteronômio 10: 6-7 . 

(1) Moserote. 

(2.) Mosera. 

Ain et-Taiyibeh.  

perto do pé

Monte Hor. 

(2.) Bene-Jaacã. 

(1) do Beerot 

'Ain el-"ebeh. 

filhos de Ja akan.  

(3.) Hor-Hagidgade. 

(3.) Gudgoda. 

Wady el-Ghudhagidh. 

(4.) Jotbatá.  

Confluência de wady 

el-Aalibeh com 

el - Jerafeh.

 

  1. Os únicos eventos registrados durante este período (e estes são intercaladas com promulgações diversos da lei cerimonial), estão a execução do agressor que se reuniram paus no sábado ( Números 15: 32-36 ), a rebelião de Corá (capítulo 16), e, intimamente ligado com ele, a declaração judicial da preeminência para a casa de Aaron com sua tribo a tribo, solenemente conmirmed pelo milagre judicial da vara que floresceu. Esta parece ter sido seguido por uma separação mais rígida entre Levi e as outras tribos que se refere à abordagem para a tenda do que havia sido praticamente reconhecido antes ( Números 16:27 ; Números 18:22 ; Números 16:40 ).

 

Não nos é dito como os israelitas entraram em posse da cidade Cades Barnea, como parece implícito na narrativa da sua segunda chegada lá, nem que wvere seus ocupantes anteriores. A probabilidade é que estes últimos eram um remanescente da Horites, que, após a sua expulsão por Edom do Monte Seir (Veja EDOM ), pode ter aqui mantido a sua última posição no itory ter entre Edom e os amorreus cananéias de "o sul. " Provavelmente Israel tomou pela força das armas, o que pode ter induzido o ataque de "Arad, o cananeu", que, então, sentir a sua fronteira imediatamente ameaçadas ( Números 33:40 ; Números 21: 1 ). Este bélica exploração de Israel talvez possa ser em alusão a Juízes Números 21: 4 como a ocasião em que Jeová "saiu de Seir" e "marchou para fora do campo de Edom" para dar a sua vitória pessoas. O ataque de Arad, no entanto, embora com uma ligeira sucesso no início, só trouxe derrota a si mesmo e destruição sobre as suas cidades (21: 3). 

 

Aprendemos com 33:36 única que Israel marcharam sem interrupção permanente de Eziom-Geber sobre Cades. Esta atividade súbita, após o seu longo período de perambulação desconexa e sem propósito, pode ter rei alarmada Arad. O itinerário leva aqui mais um passo de Cades ao monte Hor. Há serem ocupados com o enterro de Aaron pode ter dado Arad sua oportunidade imaginária de agredir a parte traseira de sua marcha, ele descendo do norte, enquanto eles também estavam enfrentando o sul. Em ligação directa com esses eventos nos deparamos com uma única passagem em Deuteronomyr (10: 6, 7), que é um pedaço de narrativa embutida no recital de eventos de Moisés em Horebe longa anterior. Este contém uma pequena lista de nomes de localidades, na comparação que com o itinerário que obter alguma pista para a linha de marcha desde a região Cades a Eziom-Geber sul. 

 

VII. A partir de Kadesh para Canaã. 

  1. Esta terceira divisão da rota dos israelitas é mais suscetível de identificação que qualquer um dos outros, após ter fixado pelo processo anterior alguns pontos importantes, e em sua última parte é bastante inconfundível. Os israelitas, evidentemente, refez seus passos para baixo o 'Arabá, talvez mantendo ao longo do seu lado ocidental, a maior distância das fronteiras de Edom, até que chegou mais uma vez para o trato bem regada dos descendentes de Jaacã, a meio caminho entre Cades e Monte Hor, ou Mosera, a que na próxima atravessou, e onde morreu Arão ( Deuteronômio 10: 6 ), a partir deste ponto, novamente evitando o território dos edomitas, eles passaram por um desvio considerável, em um Sul-oeste direção, através wady el-Jerafeh para Wady el-Ghudhagidh (que temos diante identificado com Gudgoda ou Hor-Hagidgade), em sua antiga pista, ao redor através Jotbatá ( Deuteronômio 10: 7 ), e de volta ao Mar vermelho no Asiongaber e Elat ( Deuteronômio 2: 8 , onde, no entanto, os dois últimos nomes ocorrem na ordem inversa). 

 A partir deste último ponto, tendo atravessado a planície do 'Arabá, que dobrou a extremidade sul da montanha de Seir, através wady el-Ithm, e acamparam-se em Zalmona, provavelmente na borda da planície do deserto oriental, perto da junção do el wady -Amran. Prosseguindo dali sua rota para nordeste, ao longo da presente estrada que contorna a base do Monte Seir, eles seguinte chegou-se em Punom, que podemos encontrar perto do cruzamento da sua rota com a estrada Haj de Damasco. Mantendo ainda ao longo da base da gama Mount-Seir, eles próxima interrompido em Obote, situada provavelmente na região de Wady el-Ghuweit, onde a primeira corrente tem sua origem, desaguar no. Mar Morto do sul.

 Prosseguindo a mesma estrada para o norte que os viajantes no dia de hoje tomar ao longo deste percurso, eles sem dúvida passou perto Tufileh (Tophel, um dos pontos em suas andanças, Deuteronômio 1: 1 ), e parou em Ije-Abarim, provavelmente perto do el- wady Ahsy, que é executado em wady Kurahy el-, a fronteira sul de Moab. Seus próximos estações são facilmente identificados: o ribeiro de Zerede pode ser outro senão wady el-Deraah, os dois garfos dos quais inclose Kerak; o ribeiro Arnon é concedido para ser wady Mojeb; e Dihon-Gade é evidentemente o Dhiban moderna. Deste último ponto eles parecem ter divergido consideravelmente (aparentemente com vista a satisfazer a Siom hostil na Jahaz) para o leste da estrada moderna, para o deserto, onde passou por várias localidades desconhecidas (em etapas curtas, enquanto espera por o retorno dos mensageiros pedindo licença de passagem), Almon-Diblataim, cerveja, Matana, e Naaliel [ver cada um em seu lugar alfabética], e depois voltou por um circuito noroeste leve a Bamote (talvez Jebel-Humeh), aparentemente alguns ponto oposto Pisgah, um pico (especialmente correspondendo provavelmente a Jebel Attarus) das montanhas inclosing o vale do Jordão para o oriente. Sobre este tempo, a expedição foi enviada contra a Siom, Og, e os habitantes de Basã; sobre o retorno bem sucedido do que eles passaram para o norte em torno das alturas de Nebo (provavelmente a oeste de Hesbom), e assim em toda a gama geral de Abarim por um dos vales correndo sudoeste, na Jordânia (provavelmente wady Heshban). Neste último imediações acamparam nas planícies de Moab, preparatórias para atravessar o Jordão defronte de Jericó. (Veja cada uma das estações acima mencionadas em seu lugar alfabética.)

 

  1. Quando começamos a retomar o fio da história na segunda visita a Cades, descobrimos que o tempo tinha, no intervalo, foi ocupado pelo seu trabalho destrutivo, e, assim, ganhar a confirmação do ponto de vista que foi tida em tais segunda visita. Mal tem o historiador sagrado nos contou sobre o retorno dos israelitas em Cades, do que ele registra a morte e sepultamento de Miriam, e tem, não muito distante de tempo, para narrar a de Arão e de Moisés. Enquanto ainda em Cades um levante contra esses líderes acontece, sobre a alegada térreo de uma falta de água. A água é produzido a partir da rocha em um local chamado, portanto, Meribá (conflitos). Mas Moisés e Arão desagradou a Deus neste processo, provavelmente porque desconfiava providência de Deus e pediu ecursos i extraordinárias. Por conta desse desagrado, foi anunciado a eles que eles não devem entrar em Canaã. 

 Uma operação semelhante já foi mencionado como tendo lugar em Refidim ( Êxodo 17: 1 ). O mesmo nome, Meribá, foi ocasionada em que, nesta matéria. Daí que tenha sido pensado que temos aqui duas versões da mesma história. Mas não há nada surpreendente, dadas as circunstâncias, no surto de descontentamento por falta de água, o que pode ter acontecido até mais do que duas vezes. Os lugares são diferentes, muito afastados; o tempo é diferente; e há também a grande variação decorrente da conduta e punição de Moisés e Arão. Em geral, portanto, julgar os dois registros para falar de diferentes transações.

 Baseando-se os laços de sangue ( Gênesis 32: 8 ), Moisés enviou para perguntar dos edomitas uma passagem através do seu território em Canaã. A resposta foi uma recusa, acompanhada por uma demonstração de força. Sugerimos como uma explicação deste grosseria antinatural que, talvez, o pedido teve a chance de ser preferido ao nativo horeu "rei" (provavelmente o próprio Hadad última mencionado na lista do Gênesis 36:39 ), e não ao phylarch do Esauites contemporâneo com ele ( Gênesis 36:43 ).  

Os israelitas, por isso, foram obrigados a transformar seu rosto southlward, e, fazendo uma volta em torno do fim do golfo Elanitic, chegou a Monte Hor, perto de Petra, na parte superior do que Aaron morreu. Encontrar o país ruim para viajar, e seu alimento desagradável, Israel novamente irrompeu em descontentamento rebelde, e foi punido por serpentes venenosas que morderam o povo, e muitos morreram, quando um remédio foi fornecida em uma serpente de bronze definido no FLAG- pessoal ( Números 21: 4 quadrados.). Há perto Elath um promontório conhecido como Ras Um Haye, "a mãe de serpentes", que parecem abundam na região adjacente; e, se podemos supor isso a cena do referido acórdão, o evento seria, assim, ligada à linha de marcha, contornando a fronteira sul da montanha de Seir, previsto no Deuteronômio 2: 8 como sendo "através do caminho da planície ( ou seja, o 'Arabá) de Elate e de Ezion- Geber, "onde" virar para o norte, "ter" cercaram a montanha (Monte Seir) por muito tempo, "eles" passamos pelo caminho do deserto de Moab "( Deuteronômio 5: 3 ; Deuteronômio 5: 8 ). Ainda indo para o norte, e, provavelmente, buscando a rota de caravanas de Damasco, eles longamente alcançou o vale de Zerede (o ribeiro), que pode ser o presente wady Kerek, que corre do leste para o Mar Morto. Daí que "removido e acamparam do outro lado do Arnon, que está na fronteira de Moabe entre Moab e os Amoritest;. ( Números 21:13 .) Beer (do poço) foi a estação seguinte, onde, encontrar uma oferta abundante de água, e sendo regozijou-se com a perspectiva do fim rápido da sua viagem, o povo o espectáculo de música e canção, cantando "o canto do bem" ( Números 21: 17-18 ).

 Os amorreus que está sendo solicitado, se recusou a dar a Israel uma passagem através de suas fronteiras, e assim a nação foi novamente obrigado a proceder ainda em um curso norte. Finalmente, depois de ter batido os amorreus e Og, rei de Basã, que chegaram ao Jordão, e armaram suas tendas em um ponto que ficava em frente de Jericó. Aqui Balak, rei dos moabitas, alarmados com seus números e suas proezas bem sucedido, convidou Balaão para amaldiçoar Israel, na esperança de ser, portanto, auxiliado para superá-los e expulsá-lo. A maldição destina revelou uma benção na boca do profeta. Enquanto aqui as pessoas deram lugar às práticas idólatras dos moabitas, quando um terrível castigo foi infligido, em parte por uma praga que decolou 24.000, e em parte pela espada vingadora. Moisés, sendo ordenado a tomar a soma dos filhos de Israel, da idade de vinte anos para cima, descobriram que ascendeu a 600.730, entre os quais não havia um homem daqueles a quem Moisés e Arão no deserto de Sinai ( Números 26:47 ; números 26:64 ). Moisés é agora dirigida para ascender Alarim, ao Monte Nebo, na terra de Moab, defronte de Jericó, a fim de que ele pudesse examinar a terra que ele não estava a entrar por conta de ele ter se rebelado contra o mandamento de Deus no deserto de Zin ( Números 27:12 ; Deuteronômio 32:49 ). Conformably com a ordem divina, Moisés subiu das planícies de Moab aos montes de Nebo, ao cume de Pisga, e morreu ali, com a idade de 120 anos: "Seu olho não era fraca, nem lhe fugira o vigor "(Deuteronômio 34). Sob seu sucessor, Josué, os hebreus foram imediatamente levou outro lado do Jordão, e estabelecido na terra da promessa. 

Assim, uma viagem, que eles poderiam ter realizado em poucos meses, eles passaram quarenta anos na realização, trazendo sobre si mesmos labuta indizível e problemas, e, no final, a morte, como punição por sua grosseira e apetites sensuais, e sua inflexível indocilidade à vontade divina ( Números 14:23 ; Números 26:65 ). Joshua, no entanto, ganhou assim uma grande vantagem, na medida em que estava com uma geração totalmente nova que ele lançou as bases das instituições civis e religiosas da política Mosaic na Palestina. Esta vantagem pode ser atribuída como a razão pela qual um período tão longo de anos foi gasto no deserto.(notas encylopedia biblical 1915).

fonte www.mauricioberwaldoficial.blogspot.com